Abalos sismicos em Jaguaribe e Solonópole serão monitorados

Depois dos tremores de terra registrados no Sábado e no inicio desta semana na região limítrofe de Jaguaribe e Solonópole equipes da Defesa Civil do Ceará e do  Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte vão instalar na região uma estação sismográfica para acompanhar melhor esses eventos. caso os eventos voltem a ocorrer deverá ser instalada uma rede de estações para estudar mais profundamente estas ocorrências. Os tremores na região já haviam ocorrido no dia 6 de Março e voltaram a ser registrados no Sábado(12/3) e nesta segunda(14/3), com respectivamente magnitude 3.2 e 3.5 graus

No Brasil os sismos ou tremores são menores porque o Brasil se localiza mais ao centro da placa(a chamada intra-placa) tectônica sul-americana. Isso não significa que no Brasil não possa ocorrer tremores de magnitude maior, mas é mais difícil de acontecer.

Embora consideramos os tremores um fenômeno raro ocorrem cerca de 30.000 cismo todos os anos ao redor do mundo. A sismicidade na região onde se localiza o Brasil representa apenas 1% das ocorrências.

No Brasil o Nordeste é uma das regiões mais ativas, principalmente no Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Bahia.  NO Ceará já foram identificadas cerca de 40 regiões sísmicas e são monitorados pela Defesa Civil do estado.

O maior abalo cismico registrado até hoje no nosso estado foi em Pacajus que atingiu 5,2 graus na escala Rchter e foi também o maior já registrado no Nordeste.

Os abalos sísmicos com magnitude entre 3,0 e 3,9 são considerados pequenos, mas raramente causam danos.

Neste mês de Março tremores de terra também foram sentidos em Taquaritinga(SP), Belo Vale(MG) e Messias(AL). Belo Vale em Minas Gerais a exemplo de Solonópole e Jaguaribe registrou o fenômeno mais de uma vez neste mês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *