Blog do Marcelo Sá

Uece desenvolve teste rápido para diagnóstico da Covid-19; resultado em até cinco minutos

A Universidade Estadual do Ceará (Uece) segue com pesquisas científicas para contribuir, cada vez mais, no combate à Covid-19. Desta vez, o Laboratório de Biotecnologia e Biologia Molecular (LBBM/Uece) desenvolveu teste rápido e de baixo custo para diagnóstico da SARS-CoV-2, a partir da saliva ou de secreções nasais. O resultado do teste sai entre três e cinco minutos.

Atualmente, os testes padrão ouro para detecção da Covid-19 são realizados por RT-PCR, cujo processo é demorado, de elevado custo, com o envolvimento de pessoal qualificado. O teste desenvolvido pela Uece se provou tão eficaz quanto o RT-PCR, tendo vantagens econômicas e de aplicabilidade. A coordenadora do LBBM/Uece, professora Izabel Florindo Guedes, fala da praticidade e utilidade do teste.

“O teste desenvolvido na Uece poderá ser aplicado em crianças ou em pessoas, inclusive, à beira do leito. Basta pegar uma gotinha de saliva para fazer o teste. O método também é ideal para fazer triagem e monitoramento em grandes eventos, como as Olimpíadas, por exemplo, em que é preciso testar todos os participantes de forma rápida”.

O pesquisador do LBBM/Uece, Valdester Cavalcante Pinto Júnior, ressalta que a ideia surgiu a partir do desenvolvimento de outra pesquisa, em que é analisada a prevalência da Covid-19 em crianças, adolescentes e adultos em situação de educação remota pela rede municipal de ensino em Fortaleza.

“Quando fizemos o rastreamento das crianças como parte do estudo para o doutorado, recebemos algumas demandas das famílias: o teste era incômodo, caro, e demorava muito a sair o resultado. Foi a partir daí que os membros do Laboratório passaram a discutir a possibilidade de desenvolver um teste rápido, de custo mais barato e menos desconfortável para o paciente. Então, desenvolvemos esse teste, que já passou pelo estudo de bancada e que se provou tão eficaz quanto o RT-PCR”, explicou o pesquisador.

A invenção é uma técnica simples e não invasiva, que pode contribuir de maneira significativa no rastreio de pessoas infectadas, sejam elas sintomáticas, sejam assintomáticas. O teste deve, inclusive, contribuir com a elaboração de estratégias mais seguras para retomada das atividades sociais.

Além da vantagem de fornecer resultados de modo mais seguro, prático e simples, o teste oferece benefício também no processo de análise, pois não requer mão de obra extremamente qualificada. O teste pode ser utilizado não somente em laboratórios, mas também em locais de atendimento ao público ou em escolas, por exemplo.

Valdester explica como funciona: “Após a coleta da saliva, ela é colocada em uma membrana [suporte sólido] onde acontece sua dispersão. Em seguida, são sobrepostos a essa membrana os anticorpos do SARS-CoV-2 [causador da Covid-19]. O anticorpo reage com o antígeno e daí surge uma ‘marca’ nos testes dos pacientes que forem positivos”.