Associativismo é discutido em Orós

O Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Orós recebeu no último dia 3 de Março de Encontro de diversas associações comunitárias do município de Orós. O Encontro foi resultado de mobilização do Governo Municipal que reuniu dirigentes das associações para discutir e fortalecer o associativismo em Orós e debater ações que venham a estimular e facilitar o trabalho das associações como forma de desenvolver as comunidades.

Entre as ações propostas está a criação da Federação das Associações Comunitárias de Orós como forma de unir forças e assim fortalecer o trabalhado das associações na aprovação e liberação de projetos comunitários.

O encontro também contou com a participação do palestrante Flamarion Alencar Cavalcanti que proferiu a palestra “Associações Comunitárias – A Importância da União para o Desenvolvimento das comunidades”, além de falar sobre as diversas formas de financiamento dos projetos e também sobre a importância do associativismo. O palestrante, disponibilizado pelo governo municipal, irá auxiliar as associações na organização e elaboração de projetos no município de Orós.

CADASTRO AMBIENTAL RURAL

O CAR(Cadastro Ambiental Rural) também foi tema do encontro já que é uma obrigação que deve ser seguida para os donos de propriedades

O Cadastro Ambiental Rural – CAR, criado pelo novo código florestal (art. 29 da Lei nº 12.651, de 2012) é um registro eletrônico, obrigatório para todos os imóveis rurais, que tem por finalidade integrar as informações ambientais referentes à situação das Áreas de Preservação Permanentes – APP, das áreas de Reserva Legal – RL, das florestas e dos remanescentes de vegetação nativa, das Áreas de Uso Restrito e das Áreas Consolidadas das propriedades e posses rurais.

CAR

OS DONOS DE PROPRIEDADES RURAIS DEVEM CADASTRAR AS SUAS PROPRIEDADES. O PRAZO PARA O CADASTRO FOI PRORROGADO ATÉ MAIO DESTE ANO.

Todas as propriedades rurais do país precisam ser cadastradas no Sistema Eletrônico do CAR (SiCAR). A inscrição é condição necessária para que os imóveis façam parte do Programa de Regularização Ambiental (PRA). Isso dará início ao processo de recuperação ambiental de áreas degradadas dentro dos terrenos, conforme prevê a Lei 12.651, de 2012, a chamada Lei Florestal.
Produtor que não estiver cadastrado não terá acesso a políticas públicas, como crédito rural, linhas de financiamento e isenção de impostos para insumos e equipamentos.
A inscrição no cadastro é obrigatória para todos os imóveis rurais, sejam eles públicos ou privados, bem como de áreas de povos e comunidades tradicionais que façam uso coletivo do território.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *