AL instala Comitê de Prevenção de Homicídios na Adolescência

O Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência foi instalado na manhã desta terça-feira (23/02), no plenário da Assembleia Legislativa. O projeto é uma iniciativa da AL em parceria com o Governo do Estado e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), que, de acordo com o presidente da Casa, deputado Zezinho Albuquerque (Pros), irá “propor ações concretas de enfrentamento à violência”.

Zezinho Albuquerque explicou que a iniciativa vai atuar na perspectiva de compreender as razões para o fenômeno da violência, que afeta, especialmente, a faixa etária entre 10 e 19 anos, a partir da análise da trajetória de vida desses jovens.

“A iniciativa se soma a outras que a Assembleia desenvolve em defesa dos nossos jovens. Entre essas, podemos destacar a campanha institucional Ceará sem Drogas, que visa alertar para os problemas decorrentes da dependência química”, explicou.

O colegiado será presidido pelo deputado Ivo Gomes (Pros) e terá o deputado Renato Roseno (Psol) como relator. Fazem parte ainda da composição os deputados Zé Ailton Brasil (PP), Augusta Brito (PCdoB) e Bethrose Fontenele (PMB), que são, respectivamente, presidentes das comissões de Direitos Humanos e Cidadania, de Juventude e de Infância e Adolescência da AL.

Ivo Gomes explicou que o comitê atuará em três momentos. O primeiro será de pesquisa, na qual adolescentes infratores e familiares de adolescentes assassinados responderão um questionário, no sentido de investigar as conexões entre eles e suas vidas na família e na comunidade. “Iremos nos aprofundar na sua afetividade, um assunto que é um tabu quando se fala em violência”, disse.

Na sequência, serão realizadas 11 audiências públicas, das quais três em Fortaleza e o restante nos municípios de Caucaia, Crato, Juazeiro do Norte, Maracanaú, Maranguape e Sobral.

Outros três seminários, com locais e datas a serem definidos, serão promovidos no sentido de levantar o debate com as comunidades sobre temas como dependência química, acesso a armas de fogo, a cultura do medo promovida por programas policiais, políticas públicas que circundam crianças e adolescentes e afetividade.

Ivo Gomes explicou que esse percurso será realizado para que, ao fim, possa-se propor ao Governo do Estado medidas concretas de combate à violência, sempre baseadas em dados científicos.

“Não queremos aqui julgar ou defender os adolescentes infratores e tampouco o Governo. Queremos entender a trajetória de vida e a sentimentalidade desses jovens e levantar hipóteses que justifiquem o crescimento constante dessa violência, já que as explicações do senso comum, como desemprego e precariedade da educação pública, por exemplo, não convencem mais”, defendeu.

A instalação contou ainda com a participação da vice-governadora do Estado, Izolda Cela; do coordenador do Unicef no Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí, Rui Aguiar; do promotor de Justiça Hugo Mendonça; da secretária Especial de Políticas Sobre Drogas, Mirian Sobreira; do secretário de Educação, Maurício Holanda; do Secretário do Trabalho, Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Cláudio Ricardo, e do reitor da Universidade do Vale do Acaraú (UVA), Fabiano Carvalho.

Fonte: AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *