Conexão entre CEs e rodovias federais será melhorada com pacote de recuperação de estradas

A conexão entre as estradas cearenses (CEs) e as rodovias federais (BRs) é chave para fomentar o desenvolvimento do Estado.

É assim que chegam e saem do Ceará os resultados da produção de diversos setores da economia. Por essa razão, dos 18 trechos iniciais das obras do Pacote de Recuperação das Estradas, nove são rotas de acesso a vias que cruzam o País, sobretudo a BR-116.

As obras fazem parte do Ceará de Ponta a Ponta, programa de Logística e Estradas, hoje sob responsabilidade da Superintendência de Obras Públicas (SOP), vinculada à Secretaria das Cidades.

Os nove trechos que estão com intervenções em andamento representam aproximadamente 451 quilômetros e cerca de R$ 42,4 milhões em investimentos, que incluem reforma do pavimento e sinalização.

São eles: CE-350 (entre os entroncamentos da BR-116 e CE-040); CE-253 (entre os entrocamentos da CE-138, em Cascavel, e da BR-116, em Pacajus); CE-168 (da Baleia ao entroncamento da BR-402/CE-354, em Itapipoca);

CE-311 (entre os entroncamentos da CE-085, CE-216, CE-362, BR-402, em Granja, até a CE-232 e CE-311, em Viçosa do Ceará); CE-153 e CE-282 (entre os entroncamentos da BR-116 e BR-404, em Icó, até o da CE-375, em Iguatu); CE-288 (entre os entroncamentos da BR-116 e CE-153 e CE-380, passando por Aurora);

CE-138 (entre os entroncamentos da BR-116, em Cristais, e da CE-265, em Morada Nova);CE-257 (entre os entrocamentos da BR-020, em Canindé, e da CE-176, em Santa Quitéria); CE-366 (entre os entrocamentos da CE-168, em Lagoa do Mato, e da BR-020, em Macaoca).

O superintendente adjunto da SOP, Felipe Pinheiro, destaca os critérios usados pelo Governo do Ceará para fazer a ligação entre as estradas estaduais e federais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *