Blog do Marcelo Sá

Área degrada em Jaguaribe ganha nova vida com projeto da FUNCEME.

Ações de recuperação de área degradada realizadas pela Funceme proporcionam melhoria na qualidade de vida em comunidade de Jaguaribe.

Atualmente, o sítio abriga cerca de 34 famílias que, por meio do conhecimento repassado, já estão convencidas de que uma área degradada e improdutiva, pode se tornar produtiva novamente desde que tenha um manejo adequado.

O Dia Mundial de Combate à Desertificação é celebrado, anualmente EM 17 de junho. A data reforça a necessidade de ações efetivas tanto no combate, quanto na prevenção ao fenômeno que ameaça praticamente todo o território cearense.

De acordo com o último mapeamento realizado pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), por meio da Gerência de Estudos e Pesquisas em Meio Ambiente (Gepem), o Ceará já apresenta 11,45% do seu território com áreas fortemente degradadas em processo de desertificação. Atualmente, as regiões mais vulneráveis são os Inhamuns, o Médio Jaguaribe e parte do Centro-Norte, onde está localizado o município de Irauçuba e seus circunvizinhos.

Vale ressaltar ainda que, de acordo com o Programa de Ação Nacional de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca, 100% do Ceará é considerado Área Suscetível à Desertificação (ASD) e ainda conforme a Resolução Nº 115, de 23 de novembro de 20 do Conselho Deliberativo da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), 98,7% do estado está dentro da Região Semiárida do Brasil, comprovando a grande vulnerabilidade do estado.

Ao longo de sua história, a Funceme vem desenvolvendo atividades que visam alertar e amenizar os efeitos da desertificação no Ceará. O tema já vem sendo discutido pela comunidade internacional desde 1977, visto que muitos outros países também enfrentam os mesmos problemas.

Um dos projetos de destaque que tem acompanhamento contínuo pela instituição é o de Recuperação de Áreas Degradadas em Processo de Desertificação, na localidade do Brum, no município de Jaguaribe, situado a cerca de 300 quilômetros de Fortaleza.

Desenvolvimento Após três anos da conclusão dos trabalhos de implementação do projeto, técnicos da Funceme seguem monitorando e realizando estudos de acompanhamento do processo de recuperação da área. Elaborado no âmbito do convênio com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), através do Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (FNMC), teve suas atividades concluídas em 2016. No início das ações, a área selecionada, que consta de 5 hectares, estava bastante degradada, com impactos diretos na vegetação, no solo e no potencial produtivo, apresentando condições que inviabilizavam o uso da terra pela população local. Com o projeto, foram executadas diversas práticas conservacionistas simples e de fácil replicação, visando reverter aquele quadro. Dentre as atividades promovidas destacam-se a construção de barragens sucessivas de pedras para contenção de sedimentos, a implementação de técnicas de manejo do solo tais como terraços de base estreita para controlar a erosão e manter a umidade do solo, escarificação e sulcamento, para diminuir a compactação e melhorar a aeração e a penetração da água no solo e aplicação dos insumos para a recuperação da área esterco de curral e serapilheira. visando proporcionar condições de reaparecimento da vegetação e matéria orgânica para melhorar as condições físicas e químicas do solo.

Confira como estava a área degradada em 2012 e como está em 2019.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *