Garantia dos direitos das crianças marcam início do II Seminário Internacional Mais Infância Ceará

Mais de mil gestores públicos, profissionais e representantes de entidades cearenses e de outros estados que promovem ações voltadas para crianças participam hoje (28) e amanhã (29) do II Seminário Internacional Mais Infância Ceará, que tem como tema “A Garantia dos Direitos das Crianças na Construção de um Futuro Sustentável”. A solenidade de abertura, nesta manhã, contou com a participação do governador Camilo Santana, da primeira-dama Onélia Santana, idealizadora do Programa Mais Infância Ceará, e do ministro da Cidadania, Osmar Terra.

Após a solenidade de abertura do II Seminário Internacional Mais Infância Ceará, uma realização do Governo do Ceará, que contou com a presença do governador Camilo Santana, e da conferência magna do evento, a programação teve continuidade na tarde desta terça-feira (28), no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza, com um ciclo de debates envolvendo profissionais com experiência mundial no segmento. A primeira atividade foi a exposição dialogada “Desenvolvendo habilidades socioemocionais na escola: um caminho para a promoção da cultura da paz”, que contou com a moderação da vice-governadora Izolda Cela e a participação de Daniel Santos, do Instituto Ayrton Senna. “Pra mim é uma alegria estar participando deste seminário, uma realização do Programa Mais Infância Ceará, que tem na Onélia (Santana, primeira-dama) e na sua dedicada equipe uma coordenação e animação permanente dessas ações voltadas para os mais novinhos. É uma oportunidade de ouvir pessoas especialistas na área, que vieram partilhar todo o conhecimento adquirido ao longo de suas trajetórias”, disse Izolda Cela. Em seguida, foi a vez da mesa redonda que discutiu a “Primeira infância: onde tudo começa”, que teve como moderador Jimmy Oliveira, analista do Ipece. Na oportunidade, foram abordados dois temas: a economia do desenvolvimento humano na infância e adolescência; e como o afeto molda o cérebro do bebê. Flávio Cunha, professor de Economia da Universidade Rice, em Houston (EUA), defendeu o primeiro. Ele teve como companheiro de debate Lino de Macedo – professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo e assessor do Instituto Pensi (Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil). Investir na primeira infância é fomentar o desenvolvimento de capital humano, segundo Flávio Cunha. “Não tem país rico no mundo que não tenha sido bem sucedido em desenvolver capital humano e ela começa na primeira infância”. O professor acredita esse papel não deve ser apenas do poder público, mas também das famílias. “A relação que os pais têm com as crianças desde o nascimento é algo que é muito importante. Muitas das coisas que precisamos fazer não necessariamente estão sob cuidados do Estado, Município ou País. Tem muita coisa que a gente pode fazer que é fomentar a formação dos pais, ajudando-os a adquirir as informações que precisam para melhor interagir com seus filho. Exemplo disso é o Padin (Programa de Apoio ao Desenvolvimento Infantil), Programa Criança Feliz, Programa Primeira Infância Melhor, todos esses são programas que já existem no Brasil”, disse Flávio. Para se avançar nos cuidados às crianças, Flávio cita alguns investimentos importantes. “Uma segunda parte é tentar ver como a gente pode melhorar a qualidade do cuidado que as crianças recebem nas creches, porque é um ambiente que elas passam muitas horas por dia na primeira infância. Também tem muita coisa na área de saúde. Um estado pode ter retornos bem elevados se investir bem no saneamento básico, porque criança que cresce brincando em esgoto ou não tem acesso à água potável fica doente e quando isso acontece a energia do corpo é utilizada para combater a doença e não para o desenvolvimento do cérebro, que é o que a gente quer para fomentar capital humano”, defendeu o professor. A última mesa redonda do primeiro dia de programação trouxe como debatedores o professor Modesto Rolim, o coordenador da pós-graduação em Relações Internacionais da Universidade Estadual da Paraíba, Paulo Kuhlmann, e a coordenadora em Vigilância da Saúde da Prefeitura de Fortaleza, Dorinha Lima. Eles abordaram as respectivas temáticas: Poética da vida social – narrativas de dor e sofrimento na ambiência da vulnerabilidade e risco social; O impacto da violência na vida das crianças e adolescentes; e Fluxo da rede de cuidado à crianças e adolescentes em situação de violência. Livro Ainda hoje (28), o Governo do Ceará lança o livro Programa Mais Infância Ceará, a partir das 20h, no Pavilhão de Eventos da Residência Oficial. A publicação conta a construção do Programa, desde o lançamento, em 2015, e apresenta resultados das ações implementadas e iniciativas previstas. Confira a programação do Seminário nesta quarta-feira (29).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *