Governo confirma descontingenciamento de recursos da educação

A novidade é que não houve novo contingenciamento de verbas e parte do valor de R$ 7,5 bilhões bloqueados no Ministério da Educação foi liberada. São pouco mais de R$ 1,5 bilhão que voltam a poder ser utilizados por universidades, institutos e escolas públicas federais. O Ministério do Meio Ambiente também teve parte do orçamento recomposto. O secretário de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, justificou que o motivo da decisão não tem a ver com as manifestações do dia 15 de maio. As previsões do governo acompanham as projeções do mercado e são mais pessimistas que aquelas divulgadas no relatório anterior, publicado em março. A inflação oficial, medida pelo IPCA, deve acumular alta de 4,1% este ano, enquanto a previsão anterior era de 3,8%. A previsão de crescimento do PIB, Produto Interno Bruto, que soma as riquezas produzidas pelo país, que estava em 2,2%, recuou mais de 0,5 ponto percentual, para 1,6%. Já a taxa básica de juros da economia, a Selic, deve ser mantida no patamar atual de 6,5% até o fim do ano. Enquanto o valor do dólar projetado para o fim do ano é de R$ 3,80, atualmente o câmbio está pouco acima de R$ 4,00. Para tentar reaquecer a economia, o governo estuda algumas medidas, com o maior leilão de petróleo do mundo, previsto para o fim do mês de outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *