Campanha promove combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes em Orós.

O Governo Municipal de Orós, através da secretaria de Assistência Social e do CREAS realizaram no período de 13 a 17 de Maio a campanha de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, com intervenções nas escolas e nos CRAS,  levando informações às crianças e adolescentes, e profissionais da educação e da saúde, buscando mobilizar todos a se engajarem neste iniciativa. A campanha também contou com a participação do conselho tutelar nas escolas e nas formações com profissionais de saúde e professores.  A campanha foi encerrada com panfletagem no centro da cidade na sexta-feira(17) com o objetivo de mobilizar a população em torno do tema. O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes é comemorado em todo o Brasil no dia 18 de Maio.

A psicóloga da assistência social Hilary, fala da importância da campanha “É de grande importância levar ao conhecimento das crianças e profissionais da saúde e da educação, de como perceber se uma criança pode estar sendo vítima de violência sexual e onde e ela pode denunciar, esperamos que com esta campanha, nós tenhamos um grande engajamento, para possamos junto com o conselho tutelar e policia civil intervir neste casos e cessar esta violência sexual contra crianças e adolescente”.

Todos os anos após a realização da campanha de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, as denúncias começam a chegar.

De acordo com dados da Secretaria de Direitos Humanos, é assustador o número de casos de violência sexual contra crianças e adolescentes no país. Por isso, foi criada esta data com o intuito de ajudar a combater este mal que destrói a vida de milhares de jovens todos os anos.

Em Orós as denúncias podem ser feitas junto ao CREAS  e ao Conselho Tutelar, ou através do Disque 100, que é o serviço gratuito disponibilizado pela Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República que registra denúncias anônimas de jovens que se sintam ameaçados ou que sofreram qualquer tipo de abuso ou exploração sexual.

– O abuso sexual infantil ainda é um tema complicado e difícil de ser abordado, justamente pelos tabus que o cercam, pelo preconceito e pelo silêncio das vítimas – que nem sempre compreendem exatamente o que está acontecendo com elas – e também das famílias que sentem “vergonha” ou não sabem como lidar com a situação. Esse silêncio que permeia o tema torna difícil ter estatísticas que realmente abranjam o problema de forma real.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *