Bloqueadores em presídio podem ser a causa dos ataques em Fortaleza

A capital cearense e mais dois municípios na região metropolitana virem duas noites de pânico e tensão com vários ataques a prédios públicos e veículos de transporte coletivo.

A onde de violência que tomou conta da capital pode ter sido uma retaliação de facções criminosas que agem no estado frente a decisão de instalar bloqueadores de celulares em presídios cearenses. Embora os bloqueadores não tenham sido instalados e e tal instalação seja ainda uma possibilidade, esta pode ser a principal causa dos ataques.

Não é a primeira vez que ameaças deste tipo acontecem. Em 2016, depois que o Governo estadual enviou a Assembleia projeto de lei que proibia as operadoras de instalar sinais de telefonia em áreas onde se localizavam os presídios, uma torre de telefonia foi queimada e um veículo com explosivos foi deixado próximo a Assembleia Legislativa. A lei foi questionada no STF assim como outras leis similares criadas em outros estados.

O bloqueio de sinais de operadoras de celular em áreas próximas a presídios vem sendo apontado com uma das saídas para enfrentar o crime organizado e neste ano o Congresso Nacional discute o tema e pode finalmente aprovar a lei que dificultaria as ações das facções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *