Definida vasão do açude Orós para o segundo semestre

Os Vales do Jaguaribe e Babuiú já tem novas diretrizes para o segundo semestre de 2017. Em reunião realizada em Iguatú também foi definida vazão do Açude Orós.

Foi realizada neste mês de Junho, em Iguatú, o XXIV Seminário de Alocação das Águas. A Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) apresentou aos membros dos Comitês do Alto, Médio e Baixo Jaguaribe, Banabuiú, Salgado e Metropolitanas os dados técnicos do açude Banabuiú que se encontra com 0,75% de sua capacidade, do açude Orós, com 10,24% de sua capacidade, e do açude Castanhão, com 5,48% de sua capacidade. O encontro teve o objetivo de avaliar a operação para o 2°semestre de 2017 para os reservatórios do sistema de perenização dos Vales do Jaguaribe e Banabuiú.

Entre as discussões apresentadas para o debate no evento estava a vazão do Açude Orós para o segundo semestre. O Açude atende as seguintes demandas conehcidas:

CANAL FEITICEIRO – Comundiades e Distrito de Nova Floresta

CANAL ORÓS-LIMA CAMPOS – Comundiades e distritos de Guassussê, Igarói e Lima Campos – Icó.

MONTANTE – Sede de Orós, Pipas e Comundades difusas

RIO JAGUARIBE – Sede de Jaguaretama, Jaguaribe, Pereiro, Mapuá, Cruzeirinho, comunidades difusas e irrigação restritiva.

Foram apresentadas as seguintes propostas:

Proposta 1 – 2m³ por segundo(1,3 pelo Rio Jaguaribe).

Proposta 2 – 3 m³ por segundo (2,3 pelo Rio Jaguaribe)

proposta 3 –  3,5 m³ por segundo (2,8 pelo Rio Jaguaribe).

A proposta 2 foi a vencedora com 53 votos contra 17 votos da proposta 1 e 02 votos da proposta 3.

O prefeito Simão Pedro que é membro do comitê da sub-bacia do Alto Jaguaribe participou do evento e falou sobre a votação: “Conseguimos incluir nas discussões uma proposta de menor vazão para o Açude Orós, mas infelizmente não teve a aprovação da maioria, acabou sendo escolhida a proposta intermediária de 3 metros cúbicos por segundo”.

A plenária aprovou em reunião que do Castanhão será transferido para a Região Metropolitana de Fortaleza em torno de 0,8 m³/ s. As vazões deliberadas na reunião foram: açude Orós (rio, transferência Feiticeiro e Lima Campos): 3 m³/s; açude Castanhão (conforme resolução do Conerh): Rio: 4,5 m³/s, Eixão: 3 m³/s, Perímetros de Irrigação – Tabuleiros de Russas: 0,95 m³/s e Jaguaribe Apodi: 1,1 m³/s, e Canal do Trabalhador: 0,15 para 0,20 m³/s; Transferência para Região Metropolitana de Fortaleza (RMF): Considerando o bombeamento de 3 m³/s na Estação de Bombeamento Castanhão e as retiradas para abastecimento humano (Morada Nova, Ibicuitinga e ao longo o Eixão); evaporação (Curral Velho e Canal); perdas trechos rochosos; perímetro Tabuleiro de Russas e outras pequenas retiradas a transferência para RMF seria em torno de 0,8 m³/ s.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *