Manifestação pede redução da vazão do Açude Orós.

Moradores de Orós realizaram na manhã desta quarta-feira(16/11) manifestação contra o rápido esvaziamento das águas do Açude Orós e a favor da diminuição da vazão do reservatório que hoje abastece o Castanhão e o sistema Jaguaribe/RMF.

Desde o mês de Julho as águas do Orós dão suporte ao Açude Castanhão e recentemente passou a liberar cerca de 16m³ por segundo. Neste ritmo reservatório que é hoje  principal fonte hídrica do estado está esvaziando rapidamente para atender a demanda, principalmente da Região metropolitana de Fortaleza.

A manifestação começou com uma passeata na ponte na entrada da cidade percorrendo a rua principal e indo até a válvula dispersora, por onde sai o maior volume de água liberada do açude.

O estado vive o seu quinto ano consecutivo de sêca e depois do Castanhão ter reduzida a sua capacidade o “Orós” acabou sendo a solução para abastecer o baixo Jaguaribe e a RMF. A população da região se sente prejudicada com a redução da água uma vez que no trajeto percorrido pela água liberada o destino não tem sido apenas para o uso humano, o que deveria ser prioridade. Até chegar ao seu destino final as águas do Orós também acabam sendo utilizadas para irrigação e produção de peixes, etc.

As incertezas quanto a próxima quadra chuvosa aumentam a preocupação e o medo é que o Açude Orós atinja o seu nível mais baixo em um período de estiagem. De Julho até Novembro o açude Orós já perdeu cerca de 126 milhões de metros cúbicos e está hoje com 17.9% de sua capacidade total. Pela válvula dispersora são liberados cerca de 12.700 l/s, pelas turbinas cerca de 3.300 l/s, no canal Orós/Feiticeiro 340 l/s e pelo canal Orós/Lima campos 500 l/s o que perfaz um total de 16.840 l/s sendo liberados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *