Governo do Ceará reúne diversos setores para apresentar ações em segurança hídrica

O governador Camilo Santana reuniu na manhã desta segunda-feira (25), no Palácio da Abolição, diversos setores da sociedade para apresentar as principais ações em segurança hídrica que serão realizadas em 2016 e 2017 no Ceará, incluindo Fortaleza e Região Metropolitana. “Estamos vivenciando uma das secas mais graves da história. É muito importante o envolvimento de todos nesse debate para que possamos conscientizar a população sobre o uso responsável e a redução do consumo de água”, citou o governador. A apresentação das ações para a imprensa será realizada nesta terça-feira (26), às 9h30.

 Além de secretários do Estado e da Prefeitura de Fortaleza, participaram da reunião instituições como Tribunal de Justiça, Assembleia Legislativa, Ministério Público Estadual e Federal, OAB, Fiec, Fecomércio, Sebrae, CDL, ABIH, Crea, Aprece, CNBB, Secovi, Funcap, representantes de universidades públicas e particulares, escolas e diretores dos sistemas de comunicação do Ceará, entre outros.

 “É fundamental que a população esteja ciente da situação hídrica do nosso estado. A CDL se dispõe a apoiar esse trabalho e a divulgar as ações nos municípios em que estamos presentes”, afirmou o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL), Freitas Cordeiro. “Vamos envolver ainda pesquisadores, engenheiros, tecnólogos, pecuaristas nessa discussão”, informou o reitor do IFCE, Virgílio Araripe. “É muito importante o efeito multiplicador que o envolvimento de todos os segmentos pode causar”, citou o vice-reitor da UFC, Custódio Almeida.

No início da reunião, o governador Camilo Santana apresentou a situação hídrica do Ceará e as ações que estão sendo realizadas desde o ano passado em todo o estado – construção de adutoras de montagem rápida, cisternas de placas e chafarizes, dessalinizadores e perfuração de poços profundos, entre outras.

“As medidas que o Estado vêm tomando garantiram o abastecimento até agora. Mas este é um momento que precisamos do envolvimento de todos aqui para ajudar a termos uma nova cultura do tratamento com a água, principalmente em Fortaleza e Região Metropolitana, de que a água é um bem precioso e indispensável”, disse Camilo Santana.

rwunião 2

(O Povo)

Na tentativa de evitar o racionamento de água em Fortaleza e na Região Metropolitana, o Governo do Ceará anunciará hoje ações de segurança hídrica, que serão desenvolvidas em 2016 e 2017. A redução de pressão no fornecimento de água, cogitada inicialmente, ainda não deverá ocorrer. Outras iniciativas, apresentadas em reunião com diferentes setores da sociedade, ontem, deverão ser executadas. Algumas são a transferência de água entre municípios, perfuração de mais poços e aplicação de uma nova meta de 20% em redução de consumo, mediante tarifa de contingência.

Segundo matéria do Jornal O Povo na edição desta terça-feira(26/7) os quatro principais motivos levaram o Governo a recuar da decisão de racionamento: a possibilidade de desperdício na rede, a oneração que traria à população de baixa renda, o estímulo a mais uso da água (com possíveis reservas em excesso) e a questão do sistema de distribuição (em caso de pressurização modificada, exigiria logística complexa para evitar problemas hidráulicos graves). Dez pontos serão alternativa ao racionamento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *